Vir com crianças na Nova Zelândia com certeza é uma experiência maravilhosa, porque este país, definitivamente, é perfeito para famílias com pessoas de todas as idades.

Obviamente a questão da educação é importantíssima (e no nosso caso pesou muito positivamente em nossa escolha como destino). O país é um dos top 10 no ranking mundial da educação e isso dá muita segurança. Mas ao mesmo tempo há muitas coisas bem diferentes do que estamos acostumados em relação ao Brasil. Muitas vezes dá um frio na barriga, porque as coisas podem ser BEM diferentes, mas temos que confiar em um sistema que está entregando excelentes resultados no mundo.

Neste post falo sobre o sistema de um modo geral, a organização, suas bases e coloco links para quem quiser ler os sites oficiais com maiores detalhes.


ORGANIZAÇÃO 

A organização até que é parecida, mas ainda assim a gente estranha em relação ao Brasil (lembrando: lá temos horários matutinos x vespertinos, ensino público de qualidade média x ensino pago de qualidade alta*, período integral pago, divisão em matérias, provas, merenda x lanche da cantina x lanche de casa, aulas extras)

(*Em tempo: não é uma crítica, mas um retrato bem simplificado para facilitar o entendimento; e sim, sei que há escolas públicas maravilhosas e escolas particulares péssimas também, mas esta questão foi uma generalização para facilitar o entendimento das diferenças e semelhanças entre os países, em linhas gerais, baseadas na minha experiência em São Paulo x Auckland. Eu e minhas irmãs, amigos e familiares, estudamos em escolas públicas e privadas no Brasil, portanto sei bem as diferenças entre elas e vivi isso para poder fazer a afirmação acima.)

A educação oficial e pública (gratuita para cidadãos, residentes e quem possui work visa ou visto de estudante para doutorado) começa aos 5 anos, quando a criança entra no 1o ano da escola primária, mas é obrigatória somente a partir dos 6 anos (ano 2) e segue até os 16 anos. No total, são cerca de 13 anos de estudos.

Clique Aqui para baixar o Currículo Nacional das Escolas na Nova Zelândia

Escola Primária

A escola primária vai do 1o ao 6o ano (quando a criança tem cerca de 11 anos).

A escolha da escola é pelo bairro onde a criança reside e a confirmação para a matrícula inclui (além do visto, para quem não é daqui) a comprovação da residência. Há, geralmente, mais de uma opção por bairro.

Ao fazer a matrícula, é cobrada uma taxa de material, e algumas vezes já é cobrada alguma taxa de atividades extras que as crianças fazem (como aulas de natação, ou esportes, ou algum passeio ou atividade). Todas as crianças recebem o mesmo material da escola.

A maioria das escolas tem uniforme próprio (cada uma com o próprio estilo, cor e logotipo) e – como no Brasil – custam um pouco caro (mas muitas mães compram usados em lojas de 2a mão). Há escolas que permitem as crianças irem como quiserem (e isso inclui: ir descalça). No verão é obrigatório levar boné para fazer atividades fora da sala de aula. Além da mochila, as crianças devem levar uma garrafa d’água própria.  Não há competição pra ver quem se veste melhor, aqui é tudo muito simples, à vontade, porque a ideia das escolas é se divertir e aprender, acima de tudo.

Se quiserem ensino religioso (escolas de igrejas) ou ensinos específicos (Montessori, por exemplo) há escolas pagas que oferecem este tipo de ensino.

BASE

Não há provas no ensino primário. Tampouco lição de casa ou trabalho (com exceção das crianças que têm necessidades de reforços especiais, como estrangeiros que precisam de reforço na língua, por exemplo, e algumas atividades lúdicas no computador para reforço da matemática). Há avaliações constantes, mas o objetivo é dar atenção às necessidades especiais de cada criança, bem como avaliar se estão dentro do padrão de ensino da Nova Zelândia (portanto são exames nacionais).

Também não há a mesma estrutura de “matérias” como no Brasil (Português, Inglês, Matemática, Ciências, História etc.). O grande foco é ensinar com muita qualidade a leitura, escrita e interpretação de textos (e muito livro!), e matemática em todos os aspectos (desde contas básicas até contas mais complexas com foco em resolver situações e problemas do dia a dia). Simples assim.

Os temas são abordados conforme sugestões dos educadores e o interesse das crianças, e várias disciplinas são trabalhadas em torno destes temas (ex.: Houve afogamentos nas praias no verão, então deram aulas de natação para as crianças e abordaram o tema da segurança; Falaram sobre geologia, vulcões e como se proteger em caso de desastres e terremotos; No feriado ANZAC DAY falaram sobre a 2a Guerra Mundial, do ponto de vista histórico, abordaram a geografia na época, falaram sobre os países, levantaram a questão da participação de familiares das crianças nesta guerra e fizeram uma cerimônia em memória, cantaram o hino etc.).

Vale dizer que o país tem duas línguas oficiais, o inglês e o maori, portanto nas escolas eles ensinam a língua maori para as crianças (mas não há um compromisso em se tornar fluente, apenas preservar a cultura).

Os dias são organizados bem diferente do que estamos acostumados no Brasil e no próximo post falo sobre a dinâmica.

Há uma preocupação muito grande em passar alguns valores e desenvolver algumas competências, os quais são trabalhados em aula e estimulados com reconhecimento (eles dão estrelinhas e diplomas individuais e em grupo). E todas as atividades envolvem estes valores e competências.

Ensino Intermediário na Nova Zelândia

Algumas escolas primárias também têm o ano 7 e 8, mas geralmente as crianças vão para uma escola intermediária para cursar estes anos seguintes (eles são considerados como sendo parte da educação primária) e farão a “ponte” entre o ensino primário e o ensino secundário (mais focado).

Há menos escolas por bairro neste nível, mas há mais alunos na mesma escola intermediária. A escolha também é pelo bairro e a esta altura, muitas vão de ônibus (School Bus) para a escola (sozinhas).

Ensino Secundário na Nova Zelândia

O próximo passo é seguir com os estudos na  escola secundária (Secondary Schools, High Schools ou Colleges), onde vão cursar os anos 9 até o 13 (com cerca de 13 até 18 ou 19 anos de idade) e aprender diversas disciplinas mais focadas em suas aptidões, ainda que tenham um currículo amplo.   


Os alunos recebem orientação e informações sobre carreira profissional e já podem optar por ensino profissionalizante. 


Segundo informações do governo, a  entrada para o mercado de trabalho ou estudo posterior (como por exemplo uma Universidade) não é limitado pelo tipo de escola secundária que o aluno frequentou.

Universidades

Há várias excelentes universidades no país, com diversos campos de estudos e diferentes níveis de especialização (até doutoramento). Elas são pagas e parcialmente subsidiadas pelo governo (o preço é diferente para residentes / cidadãos e estudantes internacionais), além de haver linhas de crédito para pagamento. 



Equivalências de Estudos

O ensino da Nova Zelândia faz parte de alguns padrões internacionais e portanto tem reconhecimento (recíproco) em diversos países (Austrália, Europa e Ásia). Infelizmente o Brasil não faz parte destes acordos. Uma pena para nós, brasileiros.

Os brasileiros que quiserem estudar por aqui, provavelmente terão que fazer provas específicas para validar o diploma (e às vezes até estudar novamente). Mas isso é assunto para um especialista do assunto e não vou entrar em detalhes (pois requer conhecimento específico e aprofundado em cada caso e instituição e muitas escolas e agência de estudos no exterior, bem como os immigrant advisores, poderão ajudar com isso). 

Saiba Aqui Como Validar o seu Diploma Brasileiro na Nova Zelândia

  

QUALIFICAÇÃO

Aqui, a qualificação é dada pelo número de anos e tipo de estudos que completou. 

Níveis 1 a 4 equivalem aos anos 11, 12 e 13 da escola secundária e são as qualificações mais básicas, seguindo até o nível 10, que é o doutorado. 

Abaixo, esta tabela mostra como são organizados os níveis conforme o tipo e a profundidade de estudos que se conquista: 

 

Enfim, esta foi uma visão geral para quem quer entender como a educação funciona por aqui. Meus conhecimentos são limitados e estão mais voltados para o que estou vivendo, que é a educação dos meus filhos na escola primária. Mas como andei pesquisando para entender o contexto geral, achei importante compartilhar, porque percebo que muitas pessoas ficam perdidas (como eu).

Quem souber mais sobre a escola intermediária e o ensino secundário, adoraria de receber informações (mande por e-mail ou pelos comentários).

No próximo post eu conto mais sobre o dia a dia das escolas primárias, bem, pelo menos da que meus filhos frequentam, para dar uma ideia.

 Para saber mais sobre o sistema de ensino da Nova Zelândia, acesse:

– Currículo Escolar da Nova Zelândia: clique aqui e aqui para baixar e ler o PDF;

– explicação oficial sobre o sistema de ensino da Nova Zelândia: clique aqui;

– o site oficial da Nova Zelândia que explica o NCEA e o NZQF: clique aqui.

Veja também: Guia Completo sobre a Nova Zelândia

Anúncios