Quem mora em São Paulo conhece bem o Museu Catavento, com seus transportes e Ciência numa construção histórica no centro da cidade. Aqui em Auckland o mais parecido que tem é o Museum of Transport and Technology, MOTAT, e fica ao lado do Zoológico e de um parque maravilhoso. Vale muito a pena passar o dia todo com as crianças!

No MOTAT o antigo revela muitas novidades (e um pouco de saudosismo), ajuda a entender onde estamos no mundo do transporte e da tecnologia, e valoriza aquilo que já foi importante para a cidade e para a história.

Tem muita coisa interativa e as crianças de todas as idades não tem tempo nem de respirar, de tão empolgadas. É correr de um pavilhão para o outro (são 8 no total).

O primeiro traz a história da comunicação e mostra desde os primeiros aparelhos de telex, telefone e computação, até os games atuais. Além disso a gente aprende sobre bites e bites, sobre código binário e liga para o amigo do lado de um telefone discado.

O segundo fala sobre física, mecânica, força, gravidade… Mas nada chato e ininteligível, pelo contrário, é tudo mostrado por meio de umas invenções antigas e equipamentos que demonstram a transferência de força e energia. Divertidíssimo!

Na frente, um parquinho irresistível para os pequenos.

O terceiro mostra como funcionam os trens a vapor, e se der sorte, você consegue ver o maquinista alimentando o fogo com carvão e a máquina girando.

No quarto um pouco sobre a expedição neozelandesa à Antártica (e os equipamentos usados no século passado para a exploração), seguido de uma gráfica à moda antiga, equipamentos agrícolas e de produção e distribuição de laticínios e um corpo de bombeiros com veículos super antigos!

O quinto pavilhão tem uma exposição interativa divertidíssima, grafites e um espaço com uma exposição que muda sempre (a atual são as invenções de Leonardo Da Vinci).

Depois eu perdi as contas e me perdi na cidade do século passado que eles montaram com escola, igreja, vários tipos de casas, prisão, lojinhas, bondinhos e uma estação de trem inteira! Dá para passar horas lá passeando e explorando. É de abrir a mente…

E quando a gente pensa que o museu acabou, ainda dá para pegar o bonde andando e ir para outro pavilhão ver ainda mais exposições.

Estes bondes (“tram”) fazem o transporte entre as áreas 1 e 2 do museu. É uma viagem super charmosa! Gratuita para quem está no museu e paga (preço simbólico) para quem só quer dar uma voltinha. A estação também foi reconstruída, há um relógio antigo e um quadro com os horários do bonde. Somos recebidos por simpáticos maquinistas e cobradores vestidos à caráter, que passam dando os tíquetes à moda antiga.

O MOTAT 2 é dedicado aos aviões, de todos os tipos e tamanhos e o lugar é um hangar gigantesco.

Em datas especiais o museu ganha vida e você pode ver trens a vapor e outros maquinários como a impressão por exemplo, funcionando como se estivessem retornado no tempo. Ainda não fui mas estou maluquinha para ver!

Eu comprei, inicialmente, um passe familiar, mas depois de tudo o que vimos, deu vontade de voltar, então pagamos a diferença e compramos um passe anual. Já voltamos a segunda vez e pretendemos voltar outras nestas datas especiais e nas férias das crianças. Já valeu muito a pena!

Anúncios