A capital da Nova Zelândia é a pequena e vibrante Wellington. Uma cidade que fica numa baía fechada, no extremo sul da Ilha Norte. É de lá que saem as balsas para a Ilha Sul, e também de onde os políticos comandam o país. Mas esqueça tudo o que lhe veio à cabeça, esta maravilhosa cidade tem praias, tem uma atmosfera muito alegre e cultural, muitos cafés charmosos, lojas incríveis e, o melhor: passeios imperdíveis!

Montei um roteiro para 2 dias de visita (com as preciosas dicas das minhas amigas Débora e Amanda), mas se pudesse, teria ficado um pouco mais, idealmente uns 4 dias.

Como chegar

Eu fui de carro a partir de Auckland, mas não foi fácil encarar 8 horas no carro com crianças. Ainda que tenhamos ido a noite e não tenhamos pego quase nada de trânsito, acho mais seguro viajar de dia (há animais na pista), várias cidades dormem cedo (até postos de gasolina fechados por volta das 7 horas da noite encontramos, bem como tivemos dificuldade de parar para comer). Mas as estradas são ótimas (a State Highway 1 é o caminho óbvio e mais tranquilo, mas há uma opção pelas State Highways 3 e 4, que é o que pegamos, que é mais curto).

Auckland-Wellington

Outras opções são avião, ônibus e o famoso trem (muitos dizem que a viagem é maravilhosa). Vale checar os valores e se planejar. Se vai de campervan, há muitos lugares lindos para parar no meio do caminho (como Hamilton, Taupo, Rotorua, Waitomo, New Plymouth e Ohakune). Falarei de cada uma delas em outros posts em breve.

Onde Ficar

Eu recomendo ficar hospedado no centro mesmo, pois dá para fazer a maioria dos passeios a pé ou de ônibus, percorrendo curtas distâncias. Além de ser um lugar muito legal, cheio de lojas, restaurantes, atrações e atividades dia e noite, para todas as idades.

Roteiro em Wellington – Dia 1

– Comece caminhando pela parte dos prédios históricos e importantes, como o famoso Prédio do Parlamento (conhecido como “Beehive” por lembrar o formato de uma colméia) – Fica na Molesworth Street. É possível fazer um tour e conhecer por dentro.

 

Beehive, o Parlamento de Wellington

 

– Em seguida, caminhe até a Estação de Trem (Wellington Railway Station), bem pertinho, que é linda por fora e por dentro.

– Feita esta parte, é hora de caminhar pelo Waterfront (Wellington Harbour). Há lojas, pessoas, atrações turísticas, esculturas, artistas de rua, parquinho para as crianças, cafés, restaurantes, praças e a beleza da baía de Wellington à sua frente. Uma das vistas mais lindas e um dos passeios mais gostosos de se fazer (tenho certeza de que se ficar por mais tempo, você vai acabar repetindo a dose). É maravilhosa, não só pela vista da baía, mas pelas construções, integração com o mar, a arquitetura. Se você seguir pela Wellington Writer’s Walk, vai encontrar citações de escritores neozelandeses em grandes esculturas de pedra (e fazer fotos incríveis). Aproveite para almoçar.

Baia de Wellington com Te Papa Tongarewa

– Seguindo o caminho, há o Museu da Nova Zelândia Te Papa Tongarewa  – 55 Cable St.  O acervo do Te Papa Tongarewa tem um acervo maravilhoso! É um dos museus mais legais que já fui, e a exposição sobre a cultura maori e moana (povos pacíficos) é muito legal. Quando visitei, estavam com a exibição “Galipoli: the scale of our war” sobre o ANZAC Day que é emocionante. As esculturas gigantes e hiperrealistas são um murro no estômago! Recomendo reservar a tarde inteira para o museu (mas cabe num dia todo para quem gostar muito e quiser explorar todo o acervo).

– Se optar por não entrar no museu, continue a caminhada até Oriental Bay  – Oriental Parade (eu não visitei, mas a minha amiga disse que a praia é linda e cheia daquelas casinhas para guardar barcos).

– A noite, a sugestão é jantar na Cuba Street (cheia de lojas, cafés, restaurantes, pubs e fast foods)  – Distrito de Cuba Street,  com acesso pela Wakefield Street. Às sextas-feiras e sábados acontece o Wellington Night Market com barraquinhas de artesãos e comidinhas de diversos lugares do mundo. Uma delícia!

Veja também: Guia Completo sobre a Nova Zelândia

 

Roteiro em Wellington – Dia 2

–  Comece o dia com um café da manhã reforçado (aproveite para olhar o que há de melhor entre os cafés da região no seu Foursquare), na região da Lambton Quay (rua comercial do centro, com muitas lojas, cafés, restaurantes e comércio em geral).

– Já que está por ali, siga até os Cable Cars e compre o bilhete de subida até o Jardim Botânico – você pega o bondinho na 280 Lambton Quay e sobe um morro que tem uma vista linda (a subida dura 5 cerca de minutos).

Cable Car e a Baia de Wellington

– No alto do morro, após admirar a vista maravilhosa, visite o Cable Car Museum (gratuito) que é rapidinho.

–  Siga morro abaixo pelo Jardim Botânico (Wellington Botanic Garden) – há mapas com os caminhos e trilhas na entrada (e tranquilamente é possível fazer a caminhada em menos de 1 hora – contando as paradas para fotos).

– Aos aficcionados pelo espaço, recomendo visitar o Space Place Museum – Observatório no Jardim Botânico, e checar se eles têm alguma atividade noturna para observação de estrelas (e da aurora austral).

 

– O próximo passo é agora seguir para o outro lado da baía e visitar o maravilhoso Mount Victoria – Alexandra Lookout Rd – e ter a melhor vista da baía de Wellington. Se puder subir de carro ou de ônibus, melhor, porque é bem alto e tem uma vista 360 graus da baía. Impressionante e – com a ajuda das sinalizações turísticas, é possível ver para qual direção está a Antárctica e conhecer um pouco mais sobre a lenda de Maui, seu anzol e a Ilha Norte (segundo os povos pacíficos). Se puder, faça um piquenique lá no alto, porque vale a pena.

Baia de Wellington vista do Mount Victoria

– O próximo destino é seguir as placas para “Miramar”, o bairro onde ficam os estúdios de cinema, mas antes de ir para lá, você irá passar pela placa da cidade de Wellington (semelhante à de Hollywood, mas com um toque do humor kiwi sobre o vento forte que há por lá).

The Roxy Cinema – 5 Park Road, Miramar – é um dos primeiros cinemas da Nova Zelândia (tem um Gandalf bem na entrada e um visual dos anos 20 por dentro com projetor e um restaurante muito chique). Pausa para um café (experimente o Flat White, um café com leite bem escurinho, invenção kiwi). Por fora também é uma graça.

– A última parada do dia para o “gran finale” é o The Weta Cave – 1 Weka Street, Miramar  – workshop de artes onde foram feitos os costumes, máscaras, objetos de cena  de O Senhor dos Anéis, District 9, O Último Samurai e muitos outros. O tour dura 1 (versão curta) ou 2 horas  (versão longa) e o preço é um pouco mais salgadinho (vale cada centavo!). Se preferir, é possível visitar a área externa (e seus trolls enormes e medonhos) e a loja (com objetos incríveis e o Smiggle).

Smiggle no The Weta Cave

Se tiver mais dias, há mais passeios bacanas para fazer por lá. Eu acabei não fazendo, mas estão na minha lista para quando voltar para Wellington com mais tempo.

 

Passeios extras para quem tem mais dias:

– No centro de Auckland passe pelo Paramount Theatre na 25 Courtenay Pl – um dos primeiros teatros da Nova Zelândia (arquitetura fofa) no centro.

– Outra passagem na frente é pelo Government House – 1 Rugby St. O local tem uma arquitetura externa linda, premiada, com um espelho dágua fantástico – não custa nada parar por alguns minutos e fazer algumas fotos.

– Há uma espécie de zoológicp chamado Zealandia Sanctuary, que é um santuário de pássaros enorme e lindo, com lago artificial (estima-se 2 horas de passeio). Transformaram o lugar o mais parecido possível com um santuário pré-humano (como eles mesmos dizem), com espécies nativas.

– A Velha St Paul’s (Old St Paul’s) – 34 Mulgrave Street –  é uma magnífica catedral gótica construída no século 19 com madeiras nativas da Nova Zelândia.

– Outra praia que me recomendaram visitar é a Owhiro Bay, um pouco mais afastada.

– Eu ando um pouco avessa a zoológicos, mas se você gosta, há também o Wellington Zoo, muito famoso aqui na Nova Zelândia e uma boa oportunidade para se aproximar de algumas espécies nativas ou não.

Caso tenha faltado alguma atração, não deixe de compartilhar comigo para quando eu voltar. Poste nos comentários, eu agradeço.

Se quiser ver mais fotos de Wellington, Auckland e acompanhar o dia a dia da Nova Zelândia, acompanhe aqui no blog Memórias de Uma Viajantesiga meu Instagram @gabinanz.

Veja também: Guia Completo sobre a Nova Zelândia