Já ouviu falar sobre as Waitomo Gloworm Caves?

É muito difícil descrever o que é esta experiência, mas certamente é uma das mais marcantes que já vivenciei não só aqui na Nova Zelândia, mas também na vida toda.

Eu recomendo marcar a visita às cavernas de Waitomo na parte da tarde e fazer o seguinte roteiro: saia de Auckland de manhã bem cedinho e pare em Hamilton para visitar os jardins (falo sobre eles em outro post). Saia com tempo de folga para as cavernas em Waitomo (elas ficam a cerca de 2 horas e meia de Auckland) e, se der, almoce por lá no café, após a visita.

O passeio à Waitomo Gloworm Caves começa com uma visita guiada às cavernas para ver as estalactites (que vão surgindo do teto em direção ao chão) e estalagmites (estas, por sua vez, surgem do chão e vão crescendo para o alto), que foram formadas há milhares de anos.

Saída das Cavernas de Waitomo – Gloworm Caves
É muito legal ver como as camadas de pedra foram se formando ao longo do tempo, como as atividades vulcânicas na região influenciaram nesta formação, suas as formas e cores, os animais que ficaram eternizados em suas paredes e as formações pontudas, estalagmites e estalactites.A acústica das cavernas também é um show à parte e os mais ousados podem testar a sua voz por lá.

Também somos introduzidos ao que iremos ver em seguida e aprendemos um pouco mais sobre esta espécie de mosquito cujas larvas ficaram famosas (as tais das “gloworms”).

Pode parecer uma coisa meio surreal, algumas pessoas quase surtaram quando comentei sobre o passeio (“O que? Você está me chamando pra ver minhoca?!!!”). Mas depois não houve lágrima nos olhos e arrepios correndo na espinha que não mudassem esta primeira impressão.

Depois deste conhecimento todo, somos convidados a nos dirigir para a parte mais emocionante e misteriosa. Entramos numa região silenciosa e escura. A gente escuta os passos, nossa respiração e o estalar de água.

Entramos num barco e o condutor pede silêncio absoluto. Tudo fica realmente escuro e só conseguimos escutar o barulho da água e das gotas que pingam da caverna.

Quando a o azul-neon do brilho das gloworms se revela, a gente arrepia. É uma das coisas mais lindas que já vi. Lágrimas nos olhos: parece o céu mais estrelado que meus sonhos jamais poderiam imaginar.

Ficamos ali na Waitomo Gloworm Caves apenas por alguns minutos, mas o que vi ficou gravado para sempre na minha memória. Este passeio inesquecível se tornou uma das memórias de paz, beleza e plenitude que carregarei comigo para sempre.

Algumas curiosidades:

  • O nome Waitomo vem do maori: wai (água) e tomo (buraco)
  • Estas cavernas são gerenciadas pelos maoris, povos ancestrais que primeiro ocuparam a Nova Zelândia e que descobriram o local
  • A visita a estas cavernas existe há mais de 125 anos
  • A composição da caverna é de calcário, ou limestone
  • O “brilho” das carvernas é das larvas Arachnocampa luminosa, espécie somente encontrada na Nova Zelândia
  • Estas larvas emitem este brilho por causa da luminescência, fenômeno que acontece em sua cauda
  • O tour dura cerca de 45 minutos

Infelizmente não é permitido tirar fotos lá dentro (a foto principal do post, das gloworms, não é minha, é uma foto de divulgação da própria caverna), mas você pode ver algumas imagens maravilhosas e vídeos para aguçar a sua curiosidade no site oficial da Waitomo Gloworm Caves. Lá também tem os valores (mas você pode comprar tudo diretamente com o seu agente de viagens).

Ao final, há um café e uma lojinha cheia de souvenires.

Restaurante das Cavernas de Waitomo – Gloworm Caves

Para saber mais sobre a Nova Zelândia, acesse o meu Guia Completo da Nova Zelândia.