Quem me conhece sabe que adoro rock e blues, e desde meus 15 anos eu frequento muitos shows musicais. Faço questão. No Brasil, uma das minhas grandes paixões era ir todo ano ao Bourbon Street Fest em São Paulo (geralmente acontece no mês de outubro).

Em julho deste ano comentei que sentia muita falta do festival brasileiro e qual não foi a minha surpresa quando descobri que em agosto, aqui pertinho de Auckland, havia um festival com algumas semelhanças, o Bay Of Islands Jazz & Blues Festival. Lógico que programei uma viagem até Paihia, uma das cidades-sede, para participar. Aqui neste post eu conto como foi.

QUANDO

O Festival acontece todos os anos e dura 3 dias (de sexta-feira a domingo) no mês de agosto. Segundo a página do Facebook oficial do festival, ele acontece desde 1985.

ONDE

Vários artistas (bandas de jazz e blues – mas claro que há algumas de rock) se apresentam em diversos lugares (hotéis e pubs das cidades de Paihia e Russel, na região de Bay of Islands).

Aqui neste link é possível ver os locais onde acontecem a cada ano (pelo que vi, não mudam muito de um ano para o outro).

Paihia é uma cidade praiana e muito charmosa em Bay Of Islands, região conhecida pelas ilhas e por ter águas lindas e cristalinas.

Paihia Bay Of Islands Nova Zelandia
Café visto do píer da balsa de Paihia, em Bay Of Islands na Nova Zelandia

Russell foi a primeira capital da Nova Zelândia e fica na outra ponta desta baía, também pequenina e charmosa.

Ambas tem uma ótima infraestrutura turística, com hotéis, campings, restaurantes, lojas e outras atrações, fazendo com que valha muito a pena a viagem (mais de 3 horas distante de Auckland).

Scenic Hotel em Paihia Nova Zelândia
Scenic Hotel em Paihia, Nova Zelândia

Para ir de uma cidade a outra, a melhor maneira é usar a balsa, já que a opção de carro demora muito tempo.

COMO FUNCIONA

Há pocket shows acontecendo pela cidade, gratuitos, em locais abertos e públicos, para chamar a atenção e fazer um “esquenta”.

Bay Of Island Jazz & Blues Festival 2017
Bay Of Island Jazz & Blues Festival 2017 – banda se apresentando numa rua comercial de Paihia, na Nova Zelândia

Para visitar os shows é possível optar por um passe de 1 ou 3 dias (que dá direito a assistir a todos os shows possíveis naquele período). É possível também comprar um passe mais barato de balsa para atravessar e assistir aos shows em ambas cidades (pela estrada a distância é grande, mas de balsa ou barco é bem pertinho).

Na minha opinião, os preços são bastante acessíveis (em 2017 custavam NZD 40,00 para 1 dia ou NZD 60,00 para 3 dias de shows e o passe de balsa custava NZD 15,00). É possível comprar antes e retirar o bottom (este mesmo que ilustra este post e que serve como “passe” para assistir aos shows em qualquer um dos locais oficiais de apresentação).

Nos locais oficiais de apresentação, desde manhã até a noite as bandas se alternam fazendo apresentações de 45 minutos nos lugares determinados. Como tocam mais de uma vez em diferentes locais e dias (e horários), você tem que fazer a sua própria programação de onde, quando e quem assistir.

Eu preferi fica vendo os shows de um só lugar, no caso, o Scenic Hotel, já que me hospedei ao lado dele. A estrutura era muito boa, palco, som e iluminação simples, mas o espaço comportava bem o público (sentado).

Spin Free Band at Bay Of Island Jazz & Blues Festival 2017
Spin Free Band se apresenta no Bay Of Island Jazz & Blues Festival 2017, Scenic Hotel, Paihia, Nova Zelândia

Nos locais há sempre um bar funcionando, vendendo comidas e bebidas durante as apresentações.

Não haviam bandas mega famosas, mas o público é bastante cativo (já conhecem algumas das bandas que se apresentaram, e pelo visto voltam todo ano para prestigiar a banda e o festival).

Banda no Bay of Islands Jazz & Blues Festival de 2017
Banda se apresentando no Scenic Hotel durante o Bay of Islands Jazz & Blues Festival de 2017, na Nova Zelândia

Não é um mega festival, mas foi muito bem organizado, os artistas eram muito bons, as bandas tinham ótimos repretórios (muitos covers e algumas com músicas próprias), as cidades eram ótimas também e tinham muitas coisas para fazermos durante o dia, além dos shows.

Eu considero que o saldo foi bastante positivo. Sem dúvidas quero voltar novamente e assistir ainda mais shows, durante os 3 dias. Recomendo a experiência para quem é fã de jazz e blues (e rock).

Veja também: Guia Completo sobre a Nova Zelândia

 

 

Anúncios